O homem nunca sabe do que é capaz,

até que o tenta.

Charles Dickens

Na execução de uma escultura em areia há uma componente técnica que tem de ser executada com todo o cuidado antes de o escultor começar o seu trabalho de modelação. Dependendo do local onde se vai implementar, a sua dimensão, o fim a que se destina e do tema a ser representado, temos que fazer uma série de opções na preparação da escultura.

A ESCOLHA DA AREIA
Na maioria dos casos, e ao contrário do que se possa pensar, a areia da praia não é a melhor para se esculpir. Isto acontece porque muitas vezes os seus grãos não são os indicados, pela sua dimensão, forma e variedade.
É certo que se pretendemos fazer um concurso para crianças ou um pequeno workshop, a maioria das praias terá uma areia suficientemente boa mas, se a ideia é fazer esculturas de grande qualidade ou com uma certa dimensão, na maioria dos casos teremos que ir buscar areia a outro local e transportá-la para a praia. Cada caso é um caso, e só um especialista, depois de fazer alguns testes, saberá avaliar a qualidade da areia e fazer a escolha adequada para cada projecto em particular.
Quando se trata de eventos fora da praia, os mesmos critérios têm de ser seguidos e é normalmente imprescindível que um especialista percorra os fornecedores locais e faça testes de modo a encontrar a areia mais indicada para que se obtenha o melhor resultado possível.
Quando se trata de trabalhar dezenas de toneladas de areia, o custo é um factor a considerar. Muitas vezes o promotor do evento consegue minimizar o investimento fazendo parcerias com o fornecedor (que pode voltar a comprar a areia no final), com os municípios (que a utilizam mais tarde nas obras locais) ou com eventuais patrocinadores do evento.


METODOLOGIA
Podemos distinguir basicamente duas metodologias diferentes na preparação da areia, o “soft-pack” e o “hard-pack”.


O “soft-pack”
Uma vez humedecida, a areia pode ser trabalhada de imediato. Quando necessário, pode compactar-se manualmente algumas partes para conseguir um pouco de altura ou mais detalhe. Tem a vantagem de ser uma técnica simples,
que necessita de poucos meios, sendo por isso pouco dispendiosa. As desvantagens são: a dificuldade em atingir uma grande verticalidade, o que pode ser menos impressionante, e a necessidade de utilizar muito mais quantidade de areia para conseguir altura.
 

O “hard-pack”
A areia é compactada previamente dentro de cofragens (caixas de madeira sem fundo) construídas especialmente para o efeito.
Conforme a dimensão pretendida para a escultura e os meios de que dispomos, podemos compactar a areia manualmente ou com a ajuda de máquinas e podemos utilizar cofragens de plástico ou de madeira.
As vantagens são a possibilidade de obter uma grande verticalidade, maior altura e, de uma forma geral, mais espectacularidade. As desvantagens são a necessidade de utilização de mais meios humanos, materiais e logísticos, com um inerente acréscimo de custos. Estes são muitas vezes suportados pelo promotor através da obtenção de parcerias e/ou patrocinadores.

 

 

A escolha adequada das metodologias a utilizar num projecto de escultura em areia é um das questões fulcrais para o sucesso do mesmo e depende de vários factores como o local a implementar, a dimensão pretendida, o tema, as opções artísticas e o orçamento disponível. É com uma avaliação cuidada de cada projecto que o director técnico e artístico planifica a melhor forma de o desenvolver, sendo que muitas vezes é utilizada uma combinação das duas técnicas apresentadas.

Veja na galeria de videos como fazemos as esculturas.

            email: info@sandbucket.org |  Tlm: +351 964457430   |   Largo dos Pinheiros Mansos, B.A5, 7, r/c - 7500-180 V. N. Santo André |   Portugal